Manteiga ou margarina: afinal, qual é a mais saudável?


Eu tenho certeza que, fazendo compras, você já deve ter parado em frente à geladeira e se perguntado: devo levar manteiga ou margarina? Qual é a mais saudável?

Muitos nutricionistas e outros profissionais têm opiniões fortes sobre o assunto – e não são poucos os que se posicionam contra a manteiga. Mas será que ela merece toda essa campanha contra o seu consumo?

Confira algumas informações sobre a manteiga e a margarina e descubra se você estava tomando a decisão certa.

 

A diferença entre manteiga e margarina

manteiga-ou-margarina

Manteiga e margarina têm a mesma finalidade: ambas são usadas ​​para cozinhar ou assar e espalhadas em pães, torradas e outros alimentos. Durante muitos séculos, a manteiga tem feito parte da dieta de incontáveis famílias. E como ela é produzida? Agitando a parte gordurosa do leite da vaca até que ele se transforme nesse famoso produto.

Com a margarina, a história é bem diferente.  Agora, estamos falando de um alimento altamente processado, que foi inventado para substituir a manteiga. Seu principal ingrediente é óleo vegetal, juntamente com agentes emulsionantes, corantes e vários ingredientes artificiais.

O óleo vegetal é líquido à temperatura ambiente. Por isso que a margarina é muitas vezes hidrogenada, o que lhe dá uma consistência mais dura e prolonga sua vida na prateleira. Mas não é só isso: a hidrogenação também transforma alguns dos óleos vegetais em gorduras trans.

 

Manteiga tem gordura saturada e colesterol. Isso é ruim?

manteiga

Muitos profissionais da nutrição e da mídia crucificaram a manteiga por sua grande quantidade de gordura saturada e colesterol. No entanto, apesar de toda essa propaganda negativa, muitos estudos revelaram que isso não tem muita importância.

Um grande estudo de revisão publicado em 2010 analisou 21 estudos que incluíram um total de 347,747 participantes. Sabe o que eles descobriram? Que não havia absolutamente nenhuma associação entre gordura saturada e doença cardiovascular. Outros estudos chegram à mesma conclusão.

Na verdade, comer gordura saturada tem uma grande vantagem: melhora o perfil lipídico do sangue. Ela aumenta o HDL (o “bom colesterol”) e transforma o LDL pequeno e denso (muito ruim) em LDL grande, que é benigno. Consumir alimentos ricos em colesterol, como ovos, leva às mesmas melhorias no perfil lipídico sanguíneo. O padrão de LDL melhora, e o de HDL, aumenta.

Então, a menos que você tenha alguma condição médica como a hipercolesterolemia familiar, não há razão para excluir da sua dieta as gorduras saturadas ou colesterol dietético.

 

Margarina contém óleos vegetais e gorduras trans

oleo-vegetal

Os principais ingredientes da maioria das margarinas são os óleos vegetais, como o de soja ou de girassol. Esses óleos são maioritariamente insaturados, ou seja, são líquidos à temperatura ambiente e não podem ser usadas como “pastas”.

E qual é a solução para esse problema? Submeter os óleos a um processo de hidrogenação, que consiste em expô-los a alta temperatura, a alta pressão, gás hidrogénio e um catalisador de metal.

Esse processo prolonga o prazo de validade dos produtos e os torna mais resistentes à temperatura ambiente. Ou seja: a hidrogenação faz as gorduras insaturadas se assemelharem a gorduras saturadas.

Só que as gorduras hidrogenadas são também conhecidas como gorduras trans, que são altamente tóxicas e fortemente associadas à doença cardíaca. Por um bom tempo, a margarina continha muitas gorduras trans. Atualmente, já existem algumas variedades livres de gordura trans.

Mas atenção: fabricantes podem rotular os seus produtos como livres de gordura trans caso haja menos de 0,5 grama de gordura trans por porção. Então, para ter mais certeza do que está consumindo, lembre-se de sempre ler os rótulos. Se a palavra “hidrogenada” estiver em qualquer lugar na lista de ingredientes, é melhor devolver o produto à prateleira.

Vale lembrar também que, mesmo que a margarina seja realmente livre de gordura trans, ela ainda pode lhe fazer mal. Os óleos vegetais usados ​​na sua produção, como óleo de soja e de girassol, podem ser seriamente prejudiciais por conta própria.

Esses tipos de óleos são as maiores fontes de ácidos graxos ômega-6 poliinsaturados na dieta – algo que já estamos consumindo demais. Além disso, vários estudos relacionam o consumo excessivo de óleos vegetais poliinsaturados com câncer, violência e a principal coisa que a margarina deveria prevenir: doenças do coração.

 

Margarina e os lipídeos do sangue

doencas-cardiacas

Você já sabe quais são as diferenças entre manteiga e margarina. Agora, é hora de olhar mais atentamente para os estudos atuais.

Primeiro, é bom destacar que a margarina pode, sim, diminuir a alguns fatores de risco para doenças do coração, especialmente se ele é enriquecido com esteróis ou estanóis vegetais. Essas margarinas diminuem o colesterol total e LDL a curto prazo, mas também pode diminuir o HDL (o bom colesterol).

O que você precisa ter em mente é que, só porque uma coisa melhora um fator de risco para doenças do coração, tais como LDL, não significa que ela vai realmente levar a uma redução na doença de coração, que é o que realmente importa. Por exemplo: muitos remédios comprovadamente reduzem o colesterol LDL, mas nem todos eles levam a uma redução na doença cardíaca.

E por que isso acontece? Porque há muito mais fatores que causam doenças cardíacas do que apenas o colesterol. Os estudos que analisam os resultados finais, como ataques cardíacos, mostram que a manteiga é benigna ou saudável, enquanto a margarina aumenta o risco.

 

Então, o que você vai colocar no carrinho do supermercado: manteiga ou margarina? Agora que você já sabe a verdade sobre esses produtos, lembre-se de sempre pesquisar mais a fundo quando lhe disserem que determinado alimento é mais saudável – principalmente se ele fizer parte do grupo dos processados.

Conheça o programa de exercícios Queima de 48 Horas!

Um abraço e até a próxima!

 

 


COMPARTILHE

Comentários:
  • Josias Carlos Rodrigues comentou no dia

    Excelente matéria! O melhor é não consumir nenhuma delas.

Deixe seu comentário